Sonntag, Dezember 23, 2012

Vazio

  O título é mais pela falta de criatividade para um título decente do que por qualquer significancia maior. Estou lendo Baricco faminta. Nao, nao é um eufemismo. Acordei hoje meio sem saber muito se realmente tinha acordado, sabe-se lá o motivo mas meus olhos aqui permanecem constantemente embacados, nao só os olhos, o olhar também. Vai ver por isso eu nao posso sentar sossegada no pub e tomar minha cerveja-cor-marrom quieta. Enfim, nao comi nada o dia inteiro. Junto a fome somou-se a preguica: duas horas para se arrastar para um banho, mais duas horas para responder ao namorado. Sim, sim; eu e o G. estamos oficialmente juntos agora, e tenho que confessar que ele é a melhor dor de cabeca do mundo, rs. Vai entender, mas cada desentendimento que passo com ele nao move um milímetro sequer do meu amorzao, assim colorido, por ele.
  Lendo Baricco aqui me faz lembrar que eu abandonei cinicamente o meu Calvino "As cidades invisíveis" na minha estante no Brasil. Se eu pudese teria trago todos, palavra. Mas tive que cometer o sacrilégio de trazer apenas um Dostoiévski, um Cortázar, um Tchekhov e tres Bariccos. Tudo para tentar fazer minha adaptacao no Velho Mundo menos sofrida, ou quem sabe, fazer lembrar do quao as coisas sofridas podem ir soltando gominhos de beleza, às vezes até sem machucar.
  Pus o "Meat is Murder" dos Smiths para tocar agora, vai que combina com o domingo né? Hoje fiquei contrariadíssima na rua porque chovia fininho - mas molhava - e eu sem guarda-chuva: domingo, tudo fechado, um saco. Amanha será uma correria sem fim para comprar o presente da molecada correndo, voltar, pegar minha bolsa e partir para Erkelenz passar o Natal com a Paula. A ceia será no almoco e à noite festinha privada com uns amigos de Düsseldorf, ou quem sabe um clube, ou quem sabe só perambular com uma caneca de Glühwein pelo Altstadt.
  O próximo módulo do curso comeca dia 15 e eu mal posso esperar para seguir com os meus estudos de língua alema, apesar de sentir até agora que na verdade é uma revisao esclarecedora, nao uma aula. Coisa que a UFF passou longe de fazer por mim. E sinto que ao final disso tudo será decisivo. O problema, antes de tudo, nao é a falta de comunicacao, mas a impossibilidade de fazer os pontos baterem do "o que é pra mim nao é para voce" e assim sucessivamente. Deus tenha a bondade suficiente de me dar paciencia. E um pouco, assim, de coragem. Porque uma normalidade e má vontade passou bem perto por aqui, e combinada com a minha impulsividade nao é fácil de adivinhar o tamanho do estrago em tudo que se faz vivo perto de mim.

Kommentare:

Anonym hat gesagt…

Cara, acho que vc ta amadurecendo...

Ana hat gesagt…

Ow, anonimo! Daonde tirar maturidade de um texto tao sem pé, nem cabeca? rs.

Ditta hat gesagt…

Amo você, e, claro, sinto imensas saudades...quero te escrever uma carta logo! Fingindo que tenho seu endereço daí...hehehe

Beijos,

Ditta Côte d'Azur

Ditta hat gesagt…

Amo você, e, claro, sinto imensas saudades...quero te escrever uma carta logo! Fingindo que tenho seu endereço daí...hehehe

Beijos,

Ditta Côte d'Azur